Arquivo

Posts Tagged ‘travessia dos fortes’

Escreva suas metas…

7 de janeiro de 2013 1 comentário

Estabelecer metas é muito importante e até mesmo motivador.

As metas, porém, devem ser ao mesmo tempo tangíveis, para não gerar frustração, e desafiadoras, para manter a motivação.

Estabelecer metas “interessantes” funciona muito bem pra mim mas o mais importante, na minha humilde opinião, é escrever e divulgar suas metas…

Porque escrever? É importante ter um registro para que aquilo não fique apenas na sua memória. Evita o esquecimento, proposital ou não, daquela meta que se tornou um pouco mais complicada…

Porque divulgar? Contar pros amigos as metas faz com que tenha sempre uma cobrança legal. Os amigos do trabalho, da escola, da faculdade, seja lá de onde for, vão acabar te fazendo perguntas sobre o cumprimento das metas e até mesmo te desafiando o que acaba gerando uma motivação maior…

Tenho o hábito de anotar minhas metas e andar com elas por todos os lados…

Logo depois que criei esse blog, em agosto de 2011, fiz uma pequena lista de “sub-metas” que considerava importantes na minha caminhada até o IRONMAN Brasil 2013, anotei num post-it e coloquei na carteira. Alguns meses atrás, ao renovar minhas metas, encontrei o tal post-it e percebi que cumpri com louvor todas as metas ali escritas.

Sub-metas 2011/2012

Sub-metas 2011/2012

Bem, na realidade essa listinha foi crescendo no decorrer do caminho e entraram aí uns triathlons olímpicos e um Ironman 70.3, mas esses foram extras… rsrsrs

O recado é:

  1. Crie suas metas realistas e desafiadoras;
  2. Escreva em um lugar que você veja sempre;
  3. Divulgue para os seus amigos e parentes;
  4. Corra atrás de cumpri-las.

Essa é a receita do sucesso, pelo menos pra mim.

Motivação

11 de agosto de 2012 Deixe um comentário

Depois de atingida uma meta desafiadora é difícil continuar a caminhada…

Minha grande meta do ano era a Maratona do Rio de Janeiro e ela foi alcançada. E diga-se de passagem, com todas as dificuldades que fazem com que a conquista fique mais saborosa…

A motivação vai ter que vir, por bem ou por mal. Rsrsrs.

É normal que a motivação para continuar os treinos diminuam um pouco, porém, no meu caso especificamente, a minha grande meta do ano era apenas uma das  “sub-metas” que criei para chegar até a grande meta que é o Ironman Brasil 2013. As  outras são a Travessia dos Fortes 2012 (já foi) e 2013 e o Ironman 70.3 Miami, e esse é o meu problema.

O Ironman 70.3 Miami será dia 28 de outubro de 2012 e o início dos treinos específicos eram pra ter iniciado em 11 de junho de 2012. Essa data era a praticamente 1 mês da Maratona do Rio, o que me levou a cortar todo o primeiro mês de treinos. O problema não seria tão grande se a ressaca depois da Maratona e da meia maratona Asics Golden Four não tivesse sido tão grande.

Passei 1 semana completamente parado e tive que retornar aos treinos de maneira bem lenta pra evitar problemas. O corpo está bem fadigado e qualquer exagero agora pode colocar tudo a perder…

Somente agora, na metade de agosto, faltando 2 meses e meio pra prova é que estou conseguindo retomar a rotina: natação 2 vezes na semana, pedal 2 vezes na semana e corrida 2 vezes na semana. Pra completar, vou ter que entrar na musculação pra não piorar o problema do joelho, que ainda incomoda.

É preciso muita dedicação…

 

Travessia dos Fortes

Domingo de sol no Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa.

Depois de uma noite meio turbulenta, acordo cedo e vejo que chegou o grande dia da Travessia dos Fortes. Olho pela janela e vejo que, às 06h30min o sol já está brilhando. Tudo perfeito pra participar da minha primeira Travessia dos Fortes.

Aqui cabe uma observação. A Travessia dos Fortes acontece desde 2001 e sempre a assisti pela televisão. Todos os anos ficava observando e achava impressionante como aquelas pessoas conseguiam nadar 3.500m. Pra mim, isso sempre foi algo intangível.

Cheguei cedo em Copacabana. Dessa vez, meu pai e minha mãe foram prestigiar a prova e servir de “guarda-volumes” pois a organização fez o favor de não disponibilizar isso aos atletas. Se eles não fossem, teria que deixar a chave do carro em algum quiosque da praia ou deixar o carro aberto, já que minha chave não pode molhar…

Depois de separar tudo o que precisaria antes e durante a prova, meus pais foram caminhando para o Leme e eu fiquei aguardando a largada em Copa. Deu tempo de ir até a água pra ver a temperatura e dar umas braçadas pra refrescar pq estava quente demais… A temperatura da água estava bem tranquila, acho até que dava pra encarar sem a roupa de borracha…

Encontrar amigos é sempre bom nessa hora. Coloca-se a conversa em dia e diminui um pouco a tensão pré prova. Dessa vez encontrei vários. Amigos da natação, amigos do trabalho e amigos do triathlon…

Parti pro local de largada e realmente pude perceber a grandeza do evento: muita gente. É realmente a maior travessia do Rio de Janeiro e acredito que do Brasil. Não é moleza controlar 2.500 pessoas loucas pelo tiro de largada. Impressionante!

Alguns minutos de atraso e, de repente, o tiro de canhão que marca o início da prova.

Largada da Travessia dos Fortes

 

Início de prova é sempre complicado mas, mais uma vez, optei por não esperar muito. Deu o tiro e me encaminhei pra água. Com menos de 30s já estava dando minhas braçadas.

Como nesta prova não precisamos fazer uma curva logo no início, a confusão fica bastante reduzida, mesmo assim, optei por nadar o mais longe possível da faixa de areia pra evitar ao máximo as confusões. Parece que não mas o couro come nessas provas.

Dessa vez, tudo aconteceu muito bem. A temperatura da água estava boa, a ondulação não estava muito forte e, se é que tinha correnteza, nem consegui perceber.

Nadei tão tranquilo que, desta vez, consegui forçar um pouco mais o ritmo no final. Ficou aquela sensação de que podia ter ganho uns minutinhos mas, pra mim, o importante sempre foi chegar ao final sem problemas. E foi isso que aconteceu.

Próximo do Leme, depois da curva pra seguir na direção da praia, achei meio confuso o funil de chagada pois as boias de chegada dos atletas de elite não tinham sido retiradas. Segui o caminho errado mas logo fui corrigido.

Pés na areia e achei que meus pais estariam a postos pra me fotografar… Me enganei… Perderam minha chegada… Rsrsrs.

Agora, já completei 3 provas importantes de natação em águas abertas aqui no RJ:

  • Bravos Diabo – 3km
  • Rei do Mar – 3,5km
  • Travessia dos Fortes – 3,5km

Com isso já me consigo capaz de cumprir a etapa de natação do Ironman Brazil 2013, meu grande objetivo.

Bravo, Rei e Forte - Será que sou tudo isso???

 

A meta é ser Ironman!!!

Retomando o ritmo das corridas

25 de março de 2012 Deixe um comentário

Depois de um mês praticamente inteiro de provas, o treinamento fica comprometido…

Domingo que vem, dia 01/04/2012, acontecerá a Travessia dos Fortes, aqui em Copacabana. Vai ser mais um final de semana quase todo comprometido. Mais uma vez uma prova atravessa o caminho dos treinos…

O excesso de provas é altamente prejudicial ao treinamento. Isto é fato, todo mundo escreve sobre isso e agora estou sentindo na pele… O problema é que muitas provas que seriam fundamentais pro meu “ganho de confiança” visando o Ironman 2013 aconteceram na mesma época: Rei dos Mares, Triathlon Olímpico e Travessia dos Fortes. Fica complicado não participar dessas provas.

Vou tentando levar essas provas sem interromper o treinamento pra Maratona do Rio, mas é complicado…

Pra se ter uma noção, depois de 2 semanas é que consegui fazer um longão… Parti pelo caminho que normalmente faço de bike, pela Tijuca, subindo até o Alto da Boa Vista.

Estou procurando fazer os longos com bastante subida pelo caminho, ano passado sofri bastante na Corrida da Ponte. Os primeiros 7km da prova são de subida pura, contínua e sem nenhuma sombra. Foi a prova que mais sofri na minha vida e não pretendo passar por isso novamente. O local onde tenho procurado fazer meus treinos é também uma subida. Para esse meu treino de ontem, foram 20km, 10km subindo e 10km descendo. A diferença é que a subida é bem mais íngreme mas, pra compensar, o local é bem arborizado.

Pra ilustrar, segue o percurso e a altimetria:

20km - Percurso

20km - Altimetria

 

A evolução desse treinamento é a ida direto até a Lagoa Rodrigo de Freitas via Alto da Boa Vista e Vista Chinesa. Provavelmente vai acontecer em 2 semanas.

Vamos que vamos…

Começando a entrar no clima…

24 de janeiro de 2012 Deixe um comentário

O final de semana foi a prova de que entrei de vez no clima da prática esportiva. Quando não pratico alguma atividade sinto falta de alguma coisa… É como se meu dia não tivesse sido completo.

Como aqui na cidade do Rio de Janeiro foi feriado na sexta-feira, o final de semana esportivo começou lá, na Corrida de São Sebastião, que já escrevi aqui.

No sábado, fiz um “longão” na piscina. Pulei na água e só parei quando completei 3.000m. Numa piscina de 25m, isso equivale a nadar 120 piscinas. Tem que ter muita paciência. Acho que já conheço cada azulejo trincado do fundo daquela piscina mas, quem quer conseguir alguma coisa tem que se dedicar.

Esses treinos “chatos” são importantes demais pra trabalhar a mente. É importante não desistir no meio dos longões, sejam eles de natação, bike ou corrida. É aí que, enquanto treinamos o corpo, fortalecemos a mente. Começamos a acreditar que é possível realizar a atividade que nos propomos a fazer. No meu caso, a Travessia dos Fortes e a Maratona do Rio esse ano e o Ironman Brasil no ano que vem.

Pode ser que eu me engane, mas dessas 3 metas, a Travessia dos Fortes me parece a mais simples. E pensar que 4 meses atrás, era o meu maior pesadelo. Quase morri de taquicardia nadando 750m em uma prova de Short Triathlon, imagina o que aconteceria nadando 3.400m??? Pois é, me dediquei e agora estou colhendo os frutos. Os 3.400m não me assustam nem um pouco.

Domingo foi dia de longão de corrida. Ok, nesta fase da preparação o longão é até bem curtinho, só 13km, mas é importante não colocar os pés pelas mãos e confiar na programação, fazendo apenas pequenos ajustes.

Apesar do calor (fiz meu treino na orla da zona sul) quando completei os 13km, fiquei com uma vontade enorme de estender até os 16km pra completar o percurso Leblon – Leme – Leblon, mas parei mesmo em Ipanema. Respeitar os limites também é fundamental.

Segunda-feira, foi meu dia de descanso. Nossa, como foi sofrido chegar em casa e não sair pra correr e nem colocar a bike no rolo. Mais uma vez respeitei o planejamento e me contive.

Hoje, na terça-feira, nadei meus 2.500m de manhã cedinho e depois do trabalho fiz um treino contínuo de 8km. Nossa, que calor. Quando terminei parecia que tinha tomado uma chuveirada de tão molhado.

É incrível como o corpo se acostuma com a rotina dos exercícios.

É isso aí: Entrei no clima…

%d blogueiros gostam disto: