Arquivo

Posts Tagged ‘Londres’

Sumi… Mas agora voltei!!!

15 de março de 2014 4 comentários

♩♫♭♪ Eu voltei… E agora é pra ficar… Porque aqui, aqui é o meu lugar… ♩♫♭♪

Meu sumiço foi inevitável…

Tirei férias e voltei com várias coisas, das mais variadas e dos mais variados setores, acontecendo… A gente vai tentando resolver daqui e dali e acabou que o Blog foi ficando por último.

O lado bom é que durante esse período não precisei ficar completamente longe dos esportes que acaba me servindo como terapia e válvula de escape…

Como já disse, passei um tempinho viajando de férias e com o frio que estava fazendo no velho continente ficou muito difícil acordar cedo pra dar uma corrida… Acho que isso acabou sendo compensado pelo tempo que passo andando durante o dia. Basicamente o dia todo, todos os dias…

 

Stonehenge - Londres - Berlim

Stonehenge – Londres – Berlim

 Mas nem tudo são trevas. Depois de 9 dias de viagem, diga-se de passagem sem nenhuma gotinha de chuva, no 10º e último dia consegui acordar cedinho pra dar uma corrida nas redondezas. Mesmo com o frio de 2°C eu fui. Fui e esqueci as luvas. Fui, esqueci as luvas e, veja só, começou a garoar… Nem preciso dizer que com 30min voltei alucinado para o hotel e me enfiei embaixo do chuveiro de água fervente pra poder descongelar…

Corrida em Berlim com direito a garoa e sem luvas...

Trote em Berlim com direito a garoa e sem luvas…

Eu gosto muito de viajar mas gosto absurdamente do meu país e da minha cidade! Cheios de problemas, eu sei, mas eu gosto. Cada um com suas maluquices só que dessa vez eu realmente senti o golpe quando coloquei meus pés na “Cidade Maravilhosa”!

Já tem um tempo que a Cidade só é Maravilhosa vista de cima, e de longe. Quando se dá um “zoom”, percebe-se que não é tããão maravilhosa assim…

Eu voltei no Carnaval e consequentemente, no meio da greve dos garis e todo o caos que a cidade estava vivendo me fez ter um duro choque de realidade. A viagem foi Rio – Londres – Berlim – Rio. Sempre Londres Berlim é simplesmente o lugar mais organizado que já passei. Chegar aqui, ter dificuldades pra sair do aeroporto e em seguida me deparar com a cidade cheia de lixo por todos os lados doeu muito. Muito mesmo!!!

Esse assunto vou parar por aqui pois além de ser muito grande e polêmico, este blog não é pra isso. Mas que doeu, doeu!!!

Voltando ao Rio, um diazinho de descanso e no seguinte já parti pra uma corridinha de 20km nas montanhas pra reacostumar o corpo com o calor e com as passadas… Acabei correndo um pouquinho menos (cerca de 18k), mas nada que invalidasse o treino.

Ainda durante o Carnaval fiz um pedal nas montanhas com cerca de 60km e mais de 1.200m de ganho de elevação. Fiquei bem satisfeito com o fato das pernas terem aguentado a pressão. Está faltando é pulmão e coração, não pernas. Já é alguma coisas!!!

Pedal de carnaval nas montanhas

Pedal de carnaval nas montanhas

Um treininho de natação leve e já começo a me sentir novamente um triatleta. 😀

Pra fechar o resumão, no final de semana teve a etapa outono do Circuito das Estações aqui no Rio e dizem que de graça até injeção na testa…

Como eu tinha que fazer 20km, resolvi ir pra corrida já no trote. São 8km da minha casa até a largada. Chegando lá, emendei em 10km em ritmo moderado e depois fiquei com preguiça de “fechar” mais 2km. No final, acabei gostando do resultado. Apesar de um bom tempo parado, vejo que o que perdi não vai demorar muito pra ser recuperado… Tomara…

Medalha - Circuito das Estações Outono

Medalha – Circuito das Estações Outono

Prometo não demorar muito até o próximo post… rs

 

É isso!

Anúncios

Espírito Olímpico

Complicado ver e entender o que acontece com nossos atletas durante as Olimpíadas. Muito já se tem falado sobre a importância do preparo psicológico para o sucesso no esporte e eu digo: não é só importante, é fundamental.

Na linha de largada ( ou início da competição) já é possível ver quem está lá pra ganhar e quem está pra participar… É obvio que, em cada prova, apenas 1 atleta (ou time) ganha o ouro e longe de mim querer cobrar isso dos atletas brasileiros. Mas sou obrigado a cobrar o melhor de cada um deles…

Começamos bem demais nesses jogos de Londres conquistando de cara um oro no judô com a Sarah Menezes. A menina mostrou tudo o que se espera de um atleta olímpico: garra, coragem, força, determinação. E não é porque ela ganhou que digo isso. Digo porque era fácil perceber que ela foi lá pra ganhar e não apenas pra participar. Poderia ter perdido, mas foi pra ganhar…

Sarah Menezes

 

Logo depois veio uma das maiores decepções: Diego Hypólito.

Podem falar o que quiser mas eu acho que ele não foi lá pra vencer, foi pra participar.

Um salto que o cara faz um milhão de vezes por dia não pode terminar com um tombo de cara no chão. Um atleta que vai pra vencer não fica com a perna bamba na hora da prova. E o pior de tudo: aconteceu a mesma coisa nas Olimpíadas de Pequim 4 anos atrás… Cadê a Confederação brasileira de Ginástica que não preparou esses atletas nesses 4 anos que se passaram???

É muito fácil também colocar a culpa nas costas do atleta que se estabacou, mas e a CBG, não tem responsabilidade nisso? Pra mim tem. E é ainda maior do que a do atleta.

Diego Hypólito

 

Continuando os jogos vamos tendo cada vez mais exemplos.

O ciclista brasileiro Magno Prado mostrou a importância que ele deu aos jogos olímpicos ao competir com a roupa toda remendada porque não tinha uniforme reserva.

Imagina o que passa na cabeça do cidadão nessa hora? “Sou um atleta olímpico e nem um uniforme reserva eu tenho…” Caramba, isso acaba com a prova de qualquer um.

Ele desistiu? Claro que não! O cara tá nas Olimpíadas, pode cair o mundo que ele vai fazer o melhor dele lá. Tava na cara, ele estava lá pra vencer.

Venceu? Não, tinham muitos atletas melhores que ele… Mas ele fez o melhor que podia, e é isso que importa pra mim. Não se intimidou com nomes famosos (e até ficou na frente de alguns deles), botou a cara no vento e pedalou o que pôde. Parabéns Magno, você me orgulhou.

Agora, quanto ao COB ou à CBC, sei lá quem é o responsável pelos uniformes, nota ZERO. Não se pode fazer um atleta olímpico passar por uma situação dessas… Não pode!

Magno Prado

 

Continuando os exemplos olímpicos, o que dizer de Fabiana Murer?

Pra mim, nada! Sinceramente, ela é um exemplo de quem jamais poderia representar a bandeira brasileira.

Ela desistiu. Foi lá pra participar. Participou e pronto. Nunca cogitou a possibilidade de vencer. Vale o mesmo da ginástica: cadê a equipe de psicólogos??? Numa olimpíada perde a vara correta, na outra fica com medo do vento? Tem alguma coisa errada…

Fabiana Murer

 

Pra completar: Pâmela Oliveira.

Foi pra vencer. Mesmo sabendo que seria improvável, partiu pra dentro e fez muito bonito. Ganhou? Não, mas não importa, nos representou muito bem…

Depois de cair e se machucar enquanto liderava a prova, levantou, sacudiu a poeira e terminou a prova muito bem. Isso é o espírito olímpico: jamais desistir, lutar até o final por mais difícil que a vitória possa parecer… Pâmela, você nos orgulha!

Pâmela Oliveira

 

Resumindo o que eu tentei falar:

Pouco importa se você vai voltar das Olimpíadas com o Ouro, a Prata, o Bronze ou nada.

Apenas mostre que você foi lá atrás do Ouro.

Mostre que você quer ser o (a) melhor.

Lute até o final e não desista por nada.

Faça o melhor que puder. Você representa uma nação!

%d blogueiros gostam disto: