Arquivo

Posts Tagged ‘corrida’

Wings for Life World Run 2019 – A prova

Essa foi minha segunda participação nesse evento e posso garantir que a Wings for Life World Run é uma corrida completamente diferente de todas que tem por aí… A começar pela causa!

O instituto Wings for Life é uma fundação sem fins lucrativos com uma única missão: ajudar cientistas a encontrar uma cura para as lesões na medula espinhal. 100% do valor das inscrições da corrida vai diretamente para essas pesquisas e só de saber que, de alguma maneira mesmo que pequena, eu estou contribuindo para esta causa, a vontade de participar do evento já aumenta bastante.

É bem emocionante ver a quantidade de cadeirantes que participa da prova e a felicidade de todos eles em estar participando desse evento que, na realidade, é feito exatamente pra eles… E pra que um dia eles possam correr sem suas cadeiras…

Outra coisa bem legal é que não tem uma distância pré-definida pra você correr. A linha de chegada é um carro (o Catcher Car) faz o percurso todo até ultrapassar todos os corredores. A corrida termina quando o carro te alcança. Pode parecer estranho à primeira vista mas é bem legal…

Mais uma coisa que também acho interessante é que a corrida acontece simultaneamente no mundo todo. Se não me engano, foram 12 cidades ao redor do mundo que tiveram a corrida com o Catcher Car perseguindo a galera mas qualquer um pode participar, de qualquer lugar, através de um aplicativo pro celular que simula a velocidade do carro e avisa quando ele te alcançar virtualmente… Rs

Quando o Catcher Car te alcança, você precisa voltar pra arena da prova, onde te entregam algumas coisas pra comer, beber e a medalha de finisher. A organização disponibiliza vários ônibus em locais pré-definidos pra “resgatar” a galera que é alcançada. A única parte que não é muito legal é que nunca tem ninguém da organização que saiba informar onde é o ponto de ônibus mais próximo… Aconteceu ano passado e aconteceu de novo esse ano… Andei pra caramba junto com vários outros “zumbis” pra encontrar o busão… Rs. Vida que segue, fica aí o ponto a ser melhorado pro ano que vem…

A título de curiosidade, ano passado corri pouco mais de 27km e esse ano corri exatos 23. Isso é em parte explicado pelo momento da preparação que estava no ano passado e estou nesse ano, que é bastante diferente, ao fato de eu estar realmente treinando menos e à idade avançada que já me encontro… Rs

Pra quem se interessar em ver o percurso que corri, dá uma olhada lá no meu Instagram, @atriathlon, que tem um videozinho…

Se posso dar um conselho, participe dessa corrida no próximo ano. Pela causa, pela alegria dos cadeirantes que participam, pela prova diferente das que temos por aí ou pelo motivo que for… Você não vai se arrepender…

*Todas as imagens foram retiradas da internet.

Anúncios

A vida é feita de altos e baixos

15 de abril de 2019 1 comentário

Reza a lenda que Chico Xavier tinha uma placa ao lado da cama que dizia: “isso também passa!!!”

Quando perguntado sobre o significado da frase, ele disse que era para se lembrar que quando estivesse passando por momentos difíceis, poder se lembrar de que eles iriam embora. Que iriam passar. E que ele teria que passar por aquilo por algum motivo.

Mas essa placa também era para lembrá-lo que quando estivesse muito feliz, não deixar tudo para trás e se deixar levar, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis também viriam de novo.

Tá, mas e daí??? Todo mundo sabe disso!!! Tá falando isso por que???

  • Tô falando porque nos esportes essa é uma realidade que bate na nossa cara todos os dias;
  • Tô falando porque o fantástico mundo das redes sociais joga uma cortina de fumaça sobre essa realidade;
  • Tô falando porque algumas vezes já ouvi a seguinte pergunta: “vocês treinam direto sem adoecer nunca?”;
  • Tô falando porque algumas vezes já ouvi a seguinte pergunta: “sempre dá tudo certo nas provas?”;
  • Tô falando porque existem milhões de motivos que provam que isso é uma realidade.

No domingo passado, dia 07/abril, acabei correndo a Rio City Half Marathon da série Run Cities. Não estava treinando pra essa prova e nem esperava fazê-la, porém, a Lívia acabou se inscrevendo num sorteiro do Instagram e me marcou. Acabei me inscrevendo no sorteio também e, acreditem se quiser pq até agora eu tb não acreditei, nós dois ganhamos a inscrição para essa prova!!!

O objetivo na prova era se divertir. Fazer um giro de 21k no conforto. Sem estressar muito o corpo já que 7 dias depois, em 14/abril, faríamos o Brasília Endurance, triathlon com distância de meio iron (1900m/90k/21k).

Tivemos um dia bastante diferente. Eu corri o tempo todo no meu ritmo de conforto e fiz exatamente o que queria ter feito. Lívia teve um dia mais difícil, não se sentiu bem e, o ritmo de conforto dela, que é muito mais rápido que o meu, acabou ficando tão lento quanto o meu e acabamos terminando a prova juntos.

Já domingo agora, a coisa foi bem diferente. Viajamos no sábado de manhã para Brasília e logo depois do almoço já estávamos com quase tudo da prova resolvida menos duas: montar as bikes e descobrir o que eram umas pintas vermelhas que apareceram espalhadas nos meus pés e mãos. Acertadamente a Lívia me convenceu a ir no hospital. Passamos a a tarde inteira e o começo da noite fazendo exames pra descobrir que não era nada além de uma simples virose mas que não dava pra eu fazer a prova.

Já de noite, a Lívia foi montar a bike dela pra poder fazer a prova. Dormiu umas 4h, no máximo, aquela noite pra poder largar num meio iron no dia seguinte com zero de descanso só pra poder me acompanhar no hospital. Ela falou sobre isso semana passada num post e é pura verdade. Nessas horas é que descobrimos quem está realmente disposto a passar os perrengues com a gente.

No dia seguinte, adivinha o que aconteceu??? Ela foi lá e, mesmo com todas as dificuldades da viagem conseguiu um belo segundo lugar no pódio geral…

Parabéns Baixinha, você é o máximo!!!

E agora? Entendeu o título??? Numa semana eu estava bem e ela mal. Na semana seguinte eu estava péssimo e ela já estava bem melhor…

Sigamos em frente, a vida é sempre assim, “isso também passa!!!”

Maratona do Rio 2017 – A Prova

21 de junho de 2017 1 comentário

Em primeiro lugar é preciso dizer que me inscrevi nessa prova na empolgação da festa… Estava lá em Floripa, na véspera do Ironman quando descobri que abriram novas vagas para a prova que aconteceria em 3 semanas. Como o término das inscrições tinha sido minha “desculpa” pra não fazer a prova, dessa vez não tive como não me inscrever… 😀

Logo depois de terminar o Iron, o pensamento era: “Por que me inscrevi pra uma maratona daqui a 3 semanas?”.

Feita a besteira (de me inscrever), o objetivo agora era recuperar as pernas pra maratona. Das 3 semanas que eu tinha pra me recuperar, o que aconteceu foi o seguinte:
– 1ª semana inteira sem fazer absolutamente nada;
– 2ª semana nadando e pedalando leve, sem corrida ainda;
– 3ª semana incluí novamente a corrida pro corpo lembrar o que era aquilo…

Mesmo com todo esse descanso, a “ordem” era parar na prova casa sentisse algum desconforto ou estivesse muito cansado.

Dado este cenário, a prova pra mim não tinha absolutamente nenhum “peso”. Era só diversão… E foi tanta diversão que me dei ao luxo de ir na expo nos 3 dias que antecederam a prova. Andei, comprei, fiz social, enfim, me diverti!

No dia da prova, a estratégia era simples: me manter no ritmo de conforto até que o conforto acabasse ou a linha de chegada chegasse… Rs. O que acontecesse primeiro… hahaha
A linha de chegada “chegou” primeiro… Rs

Eu gosto muito de usar o monitor cardíaco. Não me baseio nele pra treinar, mas gosto de observar o que está acontecendo… Nessa prova, corri com os batimentos cardíacos baixinhos até a primeira subida, que acontece no km 23, mais ou menos.

Comecei no Recreio, dei a volta na Praia da Macumba, retornei ao Recreio e passei  a Reserva e a Barra da Tijuca com um ritmo muito legal e os batimentos lá “no chão”… Sensacional, eu estava me divertindo!!!

Depois da primeira subida, do elevado do Joá, consegui fazê-los retornar pro nível anterior e cruzei a praia de São Conrado com tranquilidade pois logo à frente viria a pior subida do percurso…

Subi bem a Av. Niemeyer, e depois dela os batimentos já estabilizaram num nível mais alto, porém, ainda num patamar bem tranquilo comparado com uma corrida forte. Mas aí já estávamos passando do km 30…

Nessa altura, já estava confiante de que eu iria até o final da prova. Estava tudo fluindo muito bem… Incrivelmente bem…

No Leblon encontrei amigos que correram comigo por um tempo e depois saíram…

Estava tão focado que nem percebi Ipanema ficando para trás…

Copacabana veio com um vento que quase levou meu boné embora (logo o que eu tinha acabado de comprar na expo… rs).

Quando virei na Av. Princesa Isabel pra sair de Copacabana já sabia que estava ali o meu melhor tempo de maratonas, sim, meu PB (Personal Best) estava a 4km de distância… Foi aí que parei de pensar no conforto e comecei a pensar em acelerar…

Passei feliz pela Praia de Botafogo e entrei no Aterro do Flamengo com a velocidade que dava mas já não conseguia esconder a felicidade.

MDP17MMF27900

Por volta do km 41… Não precisa falar nada, né?

Acenei para alguns fotógrafos mas o sorriso estava direto no rosto…

Finalmente cruzei a linha de chegada com o meu melhor tempo da vida em maratona…

Ok, não é um espetáculo de tempo mas é o meu melhor… E a satisfação em fazer o seu melhor é inigualável…

Essa foi minha história do Recreio até o Aterro do Flamengo… Quando a gente menos espera, milagres acontecem… Faça a sua parte e vai pra dentro…

Vamos em frente!!!

 

Rio City Half Marathon – A Prova

10 de abril de 2017 1 comentário

Esse final de semana aconteceu a Rio City Half Marathon aqui no Rio (como o nome já diz… rs).

Meia maratona que aparentemente veio pra substutuir a Asics Golden Run (que até 2015 se chamava Asics Golden Four) onde fiz meu PB na distância no ano passado. (Como no ano passado não escrevi nada aqui no blog, essa prova praticamente “passou batida” mas acho que cheguei a mencionar alguma coisa quando retomei as atividades por aqui…).

Como este ano tem Ironman Brasil de novo na minha listinha de provas, ele não pode deixar de ser a prova alvo pelo menos desse primeiro semestre. Quando vi essa prova, prontamente me inscrevi pra utilizar como treino pro Iron. Seria basicamente um treino longo num ritmo um pouco mais consistente do que a gente acaba fazendo nos treinos “normais” por aí… Os planos acabaram mudando um pouco pq depois disso, acabei me inscrevendo também para o Challenge Cerrado e, esta prova sim, passou a ser o grande “treino de luxo” pro Iron.

De qualquer maneira, eu estava inscrito e desistir não seria uma possibilidade, porém, combinamos que não alteraríamos nada na planilha para poder “encaixar” essa prova. Ela agora seria feita sem nenhum compromisso com tempo, pace, batimentos etc.

Tanto foi assim que na véspera tive que fazer meu pedalzinho de 120k pra cumprir a planilha…

Voltando à prova, esse percurso é considerado o mais rápido para meias maratonas aqui no Rio, (pelo menos das provas que acontecem hoje) mas acaba sendo tb um dos mais “chatos”… Nos primeiros 16km corremos por um retão que começa no Recreio e vai até o final da Barra da Tijuca, aí temos a primeira curva onde pegamos um viaduto seguido de um túnel para chegar a São Conrado, onde a prova termina. A única altimetria que existe é a subida do viaduto e do túnel, o resto é 100% plano. O problema é que isso é bem no finalzinho da prova e aí, meu amigo, é uma quebradeira generalizada… rs

Run City Half Marathon - Percurso

Como eu não tinha mais nenhum compromisso de tempo, resolvi fazer a prova sem o Garmin… Na realidade ele estava no meu pulso pro registro, mas virei ele pra baixo pra que não conseguisse olhar nem mesmo se quisesse… Só olhei mesmo quando cruzei a linha de chegada. Estava lá o meu 2º melhor tempo de meia maratona.

Confesso que fiquei um pouco surpreso. Sinceramente não estava esperando ficar tão perto do meu melhor tempo (1min). Quem acompanha meu treinos (e até aqui mesmo acho que já falei disso) sabe que tenho reclamado que minha corrida não está “encaixando”. Minha natação está a mesma porcaria de sempre, meu pedal acho que evoluiu e minha corrida acho que regrediu… Mas se formos contar que meu PB na distância foi feito ano passado quando eu estava treinando só pra Maratona do Rio e tinha descansado na véspera da prova, tô começando a ficar com a esperança de que, na hora certa, minha corrida vai finalmente “encaixar”…

Q_WhatsApp Image 2017-04-09 at 10.19.00

Cheguei correndo forte… Sim, eu sou esse de verde com o shortinho estilo queniano… Rs

Ontem fez um dia muito quente aqui no Rio e a quebradeira no final da corrida foi muito grande. As ambulâncias tiveram muito trabalho do meio pro final da prova e isso me assusta um pouco, principalmente depois do ocorrido na última prova de triathlon aqui no Rio onde um atleta veio a falecer… Tenho visto muita gente correndo atrás de mostrar uma superação louca, bater recordes pessoais que, em alguns casos, fica muito nítido que a pessoa não tem condições… Pessoal, não tô aqui pra ensinar nada pra ninguém, muito menos dar lição de moral, mas tenhamos um pouquinho mais de responsabilidade com nossa própria saúde. Fazer exercícios é excelente, mas dentro dos nossos limites… Se não for prazeroso, pra que serve? Vamos esquecer um pouco o Strava e nos divertir… Bater recordes é excelente, mas viver é muito melhor…

Bola pra frente e me desculpem o desabafo…

Que ano estranho!!!

2 de janeiro de 2017 2 comentários

Depois de um longo ano sem notícias, pretendo retomar este espaço e acho justo que para isso, eu, no mínimo, conte o que foi o ano de 2016.

Se eu tivesse que descrever o ano de 2016 com uma única palavra, certamente essa seria: “Estranho”!

Em 2016 aconteceu “quase” tudo. Na vida profissional, na vida pessoal, nos esportes, na política, enfim, na porra toda… “Quase” tudo que a gente sempre achou que não fosse acontecer, aconteceu em 2016…

fb_img_1482258188781

Obviamente vou me ater aos esportes aqui neste espaço…

Por incrível que pareça, apesar de várias coisas terem acontecido, uma única coisa acabou não acontecendo pra mim e senti muita falta: o triathlon. Em 2016, apesar de ter planejado fazer umas provas de triathlon no segundo semestre e até mesmo chegado a me inscrever em algumas, não consegui sequer largar em nenhuma delas… NENHUMA!

O que aconteceu foi o seguinte: No começo de 2016, já treinando pras provas que viriam pela frente, decidi que deveria fazer a cirurgia de desvio de septo. Como em 2015 eu tinha sofrido bastante com seguidas sinusites, acabei convencido de que isso diminuiria bastante após a cirurgia.

Dado todo o processo para a preparação e liberação da cirurgia e acrescentando que já tinha algumas provas que gosto muito programadas no primeiro semestre, fiz tudo para que a cirurgia ocorresse na primeira semana de junho, logo depois da Maratona do Rio, porém, o plano de saúde foi enrolando, enrolando e não parava de enrolar para liberar o material solicitado pelo cirurgião que só consegui operar através de uma liminar no final de setembro. Essa incerteza acabou comprometendo as provas de triathlon que havia programado.

Como me dediquei à maratona no primeiro semestre, o segundo seria com provas de short, olímpico e meio Iron (este último cheguei a me inscrever e tive que pedir o reembolso de 50% do valor em função da impossibilidade de participação por causa do atraso na cirurgia).

Vida que segue e, com o nariz novo, vamos em frente pra saber se melhorou mesmo ou não…

Mesmo com um segundo semestre praticamente sem provas, o primeiro semestre acabou sendo legal.

Muito treino e poucas, porém bem escolhidas, provas.

Consegui neste período melhorar meu tempo de meia maratona em 3min e meu tempo de maratona em 11min. Parece pouco mas pra mim foi uma vitória considerável. Eu sei que os tempos ainda são ridículos e tenho muito asfalto pela frente pra poder considerar que faço provas razoáveis mas acho que estou no caminho certo.


Já no comecinho do segundo semestre, ainda na briga pela cirurgia, acabei participando da minha primeira prova de ciclismo de estrada. Era uma prova curta, praticamente toda escalando e posso dizer que me diverti bastante. No começo da prova, ainda no trecho plano, fiquei com um certo receio pq não estou acostumado a andar em pelotões de ciclismo e a proximidade incomodava um pouco mas logo depois começa a subida e os ciclistas vão dispersando… Aí é só fazer força pra girar os pedais e tá tudo resolvido… Pena que não tenho força, mas… O que vale é que realmente me diverti e espero repetir a dose em 2017…

img_8216_qr

Copa Rio de Ciclismo – Itaipava

Pra fechar o ano, já recuperado da cirurgia e voltando aos treinos, fiz minha primeira prova de trail… Foram só 10km mas que subiam 900m e tive realmente que sujar meus tenis pra chegar no final… Foi divertido tb…

img-20161206-wa0052

Uphill 900

OBS: Não vou nem comentar que em 2016 foi ano de Olimpíadas na minha cidade! Ou melhor, vou fazer um único comentário: A coisa é sensacional!!!

E pq 2016 foi estranho??? Simples: aconteceram várias coisas boas num ano em que muitas coisas ruins aconteceram… Isso me faz ficar na dúvida se foi um ano bom ou um ano ruim, mas acho que no final das contas o saldo acaba sendo positivo…

De qq maneira, vamos esperar que 2017 seja muito melhor… Vamos com tudo!!!

FELIZ ANO NOVO!!!

Ironman Brasil 2015 – Semana 06 de 20

23 de fevereiro de 2015 Deixe um comentário

Finalmente o ano começou pra todo mundo! É hora de guardas as fantasias e voltar a viver a realidade das nossas vidas…

Carnaval2

Confesso que, para mim, o ano já tinha começado antes mesmo de o outro ter acabado, pelo menos na minha “versão atleta”… O ano já começou com o Desafio do Dunga e de lá já emendei no treino do Iron, enfim, não parei…

Mas agora, depois do carnaval, o ano começa “oficiosamente” para quase todos os brasileiros. Começam agora a levar mais a sério o trabalho, os exercícios, a alimentação, os estudos e tudo mais que foi meio esquecido durante esses quase 3 meses, então, se vc ainda não começou seu ano, aproveita que a hora é essa!!!

A prova de que meu ano já havia começado é que acabei de completar a semana 06 de 20 da caminhada até a linha de chegada do Ironman Brasil Florianópolis 2015.

Como havia dito na semana anterior, as semanas 5 e 6 seriam complicadas por causa do carnaval. Feriados, blocos e pessoas alcoolizadas dirigindo nas estradas são capazes de “atravessar” o samba de quase todo “folião” fantasiado de triatleta. Mas quase todo não é todo. Eu escapei ileso… Quer dizer, quase ileso!!!

Por mais incrível que isso possa parecer, consegui correr quase tudo que a planilha mandava e cheguei a pedalar até um pouquinho a mais. O grande problema foi a natação. Não tinha muito jeito, o clube ficou vários dias fechado e a natação foi muito prejudicada. Mesmo assim, se comparar com 2013, nadei até mais. Não que isso seja uma grande coisa, mas é um referencial… rs

Os treinos não foram exatamente como deveriam ter sido mas no geral foi bem interessante. Por causa das “confusões” carnavalescas, acabei trocando os dias de alguns treinos e até mesmo o objetivo deles. Mas acho que essa adaptação foi fundamental pra conseguir me manter em movimento intenso durante esses dias e é isso que importa!

O lado não muito legal é que mesmo eu tendo diminuído bastante o volume da corrida nas primeiras semanas, o período grande de treinos sem uma pausa razoável para recuperação está cobrando seu preço: um início de fascite plantar está incomodando e o gelo, as massagens e o alongamento já estão a todo gás pra tentar resolver isso sem que os treinos sejam muito atrapalhados. Como tudo sempre costuma dar certo comigo, não tenho muito motivo pra me desesperar. As coisas vão se ajeitando!!!

Pra ratificar o que eu disse sobre não ter sido muito prejudicado pelo carnaval, é só dar uma olhada nos números abaixo que percebe-se que realmente eu to mais focado.

O resumo é esse aí:

Semana 06– 16/02 a 22/02

Previsto 2015 x Realizado 2015

Swim – 11.600m / 5.200m

Bike – 360min / 375min

Run – 180min / 165min

Realizado 2013 x Realizado 2015

Swim – 3.000m / 5.200m

Bike – 365min / 375min

Run – 140min / 165min

Será que até a semana 20 eu consigo “encaixar” uma semana próxima de 100%???

Vamos com tudo!!!

Ironman Brasil 2015 – Semana 05 de 20

16 de fevereiro de 2015 3 comentários

É carnaval meu povo!!!

E cada um usa as fantasias que quer…

Homem_de_Ferro

Gostando ou não de carnaval, esse período altera bastante a programação de todo mundo. Ainda mais se vc morar no rio de Janeiro, que em 2015 teve 456 blocos autorizados a desfilar pelas ruas da Cidade. Pra quem curte é ótimo, já pra quem não curte, ou prefere outra programação, complica bastante a vida… Confesso que já gostei bastante mas hoje em dia prefiro coisas mais sossegadas…

Bom, voltando ao assunto Ironman, querendo ou não, os treinos ficam bagunçados nessas duas semanas.

Sábado de carnaval foi impossível ir pra estrada. Todo mundo viajando e, além das horas perdidas em engarrafamentos, tem o perigo das estradas muito cheias e os motoristas alucinados andando por aí. A alternativa foi ir pras montanhas no domingo.

Domingo de carnaval foi impossível ir pra orla correr, uma vez que alguns dos 456 blocos autorizados fatalmente por lá estaria desfilando… A alternativa foi procurar um lugar na segunda que não teria blocos…

Sábado, segunda, terça e quarta, o clube que nado estava/estará fechado e nadar vai ser uma coisa não muito simples…

Sendo assim, essas duas semanas vão ficar alteradas. Pode ser que numa delas tenha treino de menos e na outra treino demais… Isso é fácil acontecer pq, por exemplo, a corrida de ontem foi feita hoje e vai somar na semana que vem… Pela minha programação, só no sábado que vem é que as coisas entrarão no “eixo” novamente… Obviamente não se trata de compensação, apenas uns ajustes para não prejudicar a ideia geral do treino…

Mas a semana não foi de toda ruim. Acabei conseguindo resolver um problema antigo e pode ser que daqui pra fente eu consiga finalmente fazer a natação planejada de domingo. Arrumei um elástico pra nadar ancorado e, se tudo correr bem, vai dar pra resolver essa velha pendência. Veremos…

Mais uma vez fiz um treino insano de pedal na quarta-feira e não consegui acordar pra nadar na quinta. Era o menor treino de natação da semana e optei por deixar de lado mesmo. A partir da próxima semana espero que isso não aconteça mais. Além de eu estar me acostumando com o treino insano de pedal nas quartas, o volume da natação está bem maior nessa próxima semana, logo, não vai ser muito legal ficar perdendo treinos… Tomara que dê certo!

O resumo é esse aí:

Semana 05 – 09/02 a 15/02

Previsto 2015 x Realizado 2015

Swim – 10.300m / 6.500m

Bike – 356min / 326min

Run – 210min / 89min

Realizado 2013 x Realizado 2015

Swim – 5.800m / 6.500m

Bike – 60min / 326min

Run – 95min / 89min

Dá pra perceber que tô um pouquinho mais “focado” do que em 2013, consequentemente, quero resultados!!! rs

Vamos que vamos que esse ano tô animado!!!

%d blogueiros gostam disto: