Arquivo

Archive for the ‘Curiosidades’ Category

Só mais um pouquinho…

6 de dezembro de 2014 3 comentários

É tudo o que precisamos: só mais um pouquinho de dedicação!!!

Um pouquinho mais de dedicação faz você ter um resultado muito melhor!

Isso vale para tudo na vida: estudos, profissão, esportes, família…

Por mais que nos dediquemos a alguma coisa, sempre tem espaço pra mais um pouquinho…

Sua família percebe quando você está mais dedicado a eles, seus companheiros de trabalho percebem quando você se empenha mais, seus estudos rendem quando você tenta resolver aquele problema impossível mais uma vez, suas corridas ficam mais rápidas quando você deixa de matar os treinos de tiro…

É possível sim se dedicar um pouco mais a tudo isso ao mesmo tempo. As 24h do dia, quando bem aproveitadas, são perfeitamente suficientes pra que tudo seja feito da melhor maneira possível.

Vamos desligar um pouco a televisão e conversar com a nossa família durante o jantar, vamos acordar cedinho pra fazer nossas atividades físicas com o sol nascendo, vamos estudar porque queremos adquirir cada vez mais conhecimento, vamos trabalhar sem pensar que aquilo é uma obrigação…

E vamos finalmente parar de reclamar de tudo e vamos curtir a vida fazendo o que realmente nos deixa feliz!

Remember to be happy!!!

Remember to be happy

Quem dera ser um peixe…

27 de outubro de 2014 1 comentário

Sempre me gabei de que na vida, quando queremos realmente conquistar/fazer alguma coisa, a primeira coisa que devemos fazer é tomar a decisão de conquistar/fazer aquela coisa.

Quando decidi, por exemplo, fazer o Ironman, eu fui lá e fiz! Mesmo com muitas pessoas me falando que seria impossível, eu fui lá e fiz!… Que gente louca, se falei que vou fazer, é por que vou e ponto final, pensava eu, lá mesmo no site do Ironman tem escrito “Anything is possible!”… E mais uma vez eu digo: fui lá e fiz!

É óbvio que uma pessoa que não está treinada o suficiente não acorda num dia e simplesmente faz o Ironman porque decidiu fazer… É preciso um período de muita dedicação, trabalho e privação, mas, no final das contas, você acaba curtindo a evolução e, no dia da prova mesmo, é só diversão… Das melhores…

Nem sempre também as coisas acontecem nos treinos da maneira que desejamos que aconteçam… Temos dias bons e ruins (já até falei sobre isso), treinos em que tudo dá certo e outros que nos dão a certeza de que não conseguiremos fazer a prova (Olha que idiotice?!?!), e são esses que mais nos fazem evoluir… A gente acaba indo provar, só de teimosia, que podemos fazer aquilo. E de maneira muito melhor… Aí a gente vai lá e faz! Claro que os treinos em que tudo dá certo são excelentes pra ganharmos confiança. Confiança é fundamental…

Esse texto todo foi pra falar que tomei mais uma decisão: Vou melhorar minha natação!

nemo_4

Quem me acompanha por aqui sabe o quanto eu sofro nessa modalidade. Fato é que tudo nessa vida tem uma explicação. Nunca treinei natação da maneira que deveria. Mesmo na época do Iron, em raríssimas ocasiões fui à piscina 3 vezes na semana… Ia normalmente 2 vezes e em algumas semanas apenas uma solitária nadada… Como pode alguém querer nadar melhor assim??? Impossível.

Pois é, uma vez que a decisão de melhorar foi tomada. Vou nadar 3 vezes na semana! Óbvio que nem sempre vou conseguir, mas que as 3 vezes sejam a regra e não a exceção!

Inclusive, treinando com mais regularidade, pude mudar a metodologia dos treinos e as séries de natação que estou fazendo agora me forçam a verificar semanalmente a evolução que estou conseguindo… Vamos ver se vai funcionar…

Ainda não sei quando vou conseguir verificar a evolução numa prova, mas tb não estou com pressa, a meta é nadar bem no Ironman Florianópolis 2015!!!

Vamos que vamos e, aconteça o que acontecer, continue a nadar…

Dori

Altos e baixos…

13 de outubro de 2014 4 comentários

A vida é cheia de altos e baixos… E nos esportes não poderia ser diferente…

gangora

Um dia você está se sentindo bem. Nada, pedala e corre como se fosse ninja. No outro dia afunda na natação, cai da bike e tropeça correndo… Faz parte!

Depois da Maratona do Rio, comecei a focar um pouco mais na velocidade pro 70.3 de Foz… Acabou não dando muito certo já que a prova não foi exatamente o que eu esperava mas, com certeza, eu estava um pouco mais rápido…

Não era o período mais rápido da minha vida mas certamente era um período rápido… (para os meus padrões, obviamente).

Desde que passei a fazer meus treinos baseados na frequência cardíaca, como diz o livro do Phill Mafetone, as coisas têm evoluído de maneira interessante…

Para dar uma ideia, outro dia precisava fazer um treino de 60min na frequência de 165bpm. Corri pouco mais de 12km, o que dá um pace médio de 4:55min/km. Acreditem, isso pra mim é rápido. Ainda mais com o limite de 165bpm.

Alguns dias depois fui participar da etapa primavera do Circuito das Estações aqui no Rio. Prova de 10km que eu não ia precisar me preocupar com a frequência cardíaca mas resolvi tentar manter sempre abaixo de 175bpm. Imaginava eu que poderia sair alguma coisa perto de 4:45 ou 4:50min/km… Mega engano!!! Fiz a prova toda no 175 com picos de 180bpm e o pace médio ficou em 5:11min/km… Que sinistro…

São tantas variáveis que influenciam esses resultados que fica complicadíssimo descobrir o que aconteceu… Temperatura? Noite mal dormida? Pernas cansadas? Expectativa pela corrida? Sei lá…

De qualquer maneira, acho que a coisa tá melhorando sim… Mas bem que eu podia dar a sorte de coincidir um dia “alto” com uma provinha… Só pra dar o gostinho de fazer rápido… rsrsrs

Dizem que a sorte acompanha quem se dedica… Tô tentando me dedicar um pouco mais… rs

O Dunga vem aí…

20 de setembro de 2014 9 comentários

Nãããão… Não estou falando do Dunga novo técnico da nossa Seleção de futebol…

Tô falando do verdadeiro Dunga, aquele dos Sete Anões… A próxima prova “interessante”, digamos assim, é o Desafio do Dunga (Dopey Challenge) e vai rolar em Janeiro de 2015 na Disney.

Pra quem não conhece, 2015 é o segundo ano que esta prova vai acontecer e ela nada mais é do que uma pequena adaptação do outro desafio da Disney, o do Pateta (Goofy Challenge)!!!

O Pateta consiste em correr uma meia maratona no sábado e uma maratona no domingo. Nesse ano teve pela primeira vez o Dunga, que nada mais é do que correr 5km na quinta, 10km na sexta, meia maratona no sábado e a maratona no domingo! Serão pouco mais de 78km em 4 dias!!! Garantia de diversão!

dopey-challenge-graphic

Todas as corridas ocorrem dentro dos parques da Disney e, durante o percurso, é possível encontrar vários personagens… Reza a lenda que em alguns momentos chega a ter fila de corredores para tirar foto com os personagens durante a prova… Não sei se vou entrar nessas filas, mas…

Fato é que, depois de um pequeno período de descanso, posso falar que os treinos pra esta prova já estão rolando. Será inevitável dar uma reduzida no pedal. Pelo menos o de sábado, que normalmente rolava na estrada, fica totalmente comprometido! Não vou parar com o pedal durante a semana pq acho que consegui uma evolução bem interessante e não queria perdê-la. Ano que vem tem o Iron novamente e juro que, dessa vez, vou tentar cumprir os treinos direitinho pra poder terminar num tempo razoavelmente melhor do que o anterior, afinal, já conheço as condições de Floripa e acho que isso deve ajudar um pouco, somado ao fato de já ter uma “bagagem” maior, deve ajudar mais ainda. Mas se parar com o pedal agora pra só voltar em janeiro, vai tudo por água abaixo!!! Reduzir a natação significa parar com ela e isso está fora de cogitação!

Em princípio, a rotina vai continuar a mesma de sempre só substituindo o pedal de sábado por uma corrida. Pra ir me adaptando ao estilo do Desafio, nos sábados vou treinar (quase) sempre a metade da distância que treinarei no domingo. Ex: se no domingo tiver que rodar 20km, no sábado vou rodar 10km, e assim vai…

Quando tudo isso acabar, já entubo direto o início dos treinos pro Ironman Brasil 2015, que acontecerá em maio!!!

E pra finalizar lembrando do outro Dunga, agora sim o do futebol, vai uma frase bem famosa no “mundo dos triatletas”:

“Se fosse fácil o nome seria futebol…”

(Frase dita por um louco que provavelmente tem uma maneira de pensar muito parecida com a minha)

Instagram…

17 de setembro de 2014 2 comentários

Pois é, tem um tempinho que resolvi fazer um perfil do blog no Instagram…

Eu usava meu perfil pessoal pra tudo mas não deu certo… O alcance do Instagram é absurdo e as coisas começaram a se embaralhar. Tinham fotos que nada tinha a ver com o blog e que ficavam lá, meu perfil pessoal é bloqueado, só aceito as pessoas que sei quem são, exatamente por uma questão de privacidade, e várias outras coisas que são opostas à razão de existir desse blog, que é justamente ser uma coisa pública pra quem quiser ler, olhar, comentar, etc…

Então, criei o @atriathlon (http://instagram.com/atriathlon)

Instagram

Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras, então a proposta é exatamente essa: sempre colocar alguma coisa lá, mesmo quando o tempo estiver curto demais para escrever. As imagens que porventura levarem a um assunto legal, logo em seguida vão gerar um post por aqui também com um detalhamento maior…

Este blog jamais será abandonado, o Instagram é um complemento e mais um meio de divulgá-lo…

Aproveita e me segue lá também… Faz propaganda pros(as) amigos(as) e vamos que vamos…

 

OBS: Pra quem me segue nos dois perfis, é possível que acabe vendo algumas coisas duplicadas…

Com ou sem unhas???

15 de setembro de 2014 13 comentários

Essa semana fui desafiado via Instagram pelo grande triatleta Milton do blog “20 semanas” a mostrar os pés (no caso só um deles pq é pra usar um pé com o tênis que se usa pra correr e outro descalço).

pés

Isso tem se tornado uma febre no Instagram nos perfis de esportistas sérios ou de “final de semana”, como eu. Os que tem os pés destruídos sofrem bullying por esse motivo e os que não tem os pés destruídos também sofrem bullying por que não tem os pés destruídos… As piadas não acabam…

É impressionante como tem pé destruído aparecendo por lá… Desde os que faltam algumas unhas, passando pelos que tem as unhas pretas e terminando nos que são cheios de calos. Não estou falando de pés feios ou pés bonitos, estou falando de pés com as “marcas das batalhas” ou sem elas…

Fiquei com uma dúvida: será que tenho todas as unhas, elas são da cor normal e não tenho calos pq pego muito leve nos treinos e provas? Ou seria algo como eu não ter uma tendência a ficar com os pés destruídos? Ou será que isso é causado por tênis apertados/largos? Será que não tem a ver com as meias?

Minha vida inteira li e ouvi as pessoas reclamando que terminaram as provas com enormes bolhas de sangue, sem alguma unha etc e jamais tive problemas desse tipo. Óbvio que às vezes tenho uma bolhinha aqui e outra ali mas normalmente quando a corrida acontece na chuva…

Sempre achei que fosse um pouco de exagero mas agora pude perceber que a coisa é séria!

Será que temos realmente que carregar as “marcas das batalhas” nos nossos pés ou temos como evitar isso?

Se alguém conseguir responder às minhas dúvidas, agradeço bastante… Rs

Ahh, aproveita e bota a foto do pezinho pra jogo também… rs

Ironman 70.3 Foz do Iguaçu – Impressões Gerais

6 de setembro de 2014 4 comentários

Bom, agora que já contei como foi minha prova quero contar o que achei do evento como um todo. Não só a prova mas tudo que envolve a prova.

Ironman Foz

O evento teve início na quinta-feira, com a abertura da expo e início da entrega dos kits. Como só pude ir pra Foz na quinta à noite, esse dia não existiu pra mim.

Ainda na noite de quinta, quando fui montar a bike (o bike check in era na sexta) acabei quebrando, isso mesmo, quebrando um alongador da válvula do meu pneu traseiro. Na gambiarra eu ia conseguir fazer a prova mas se aquele pneu furasse, já era, não tinha como substituir a câmara. Precisava arrumar outro alongador.

Acordei cedo na sexta-feira pra ir buscar o kit logo na primeira hora, tentar arrumar um alongador novo, dar uma olhada na feira (sempre arrumamos uma coisa nova com a marca Ironman pra comprar, impressionante!), voltar pro hotel, terminar de arrumar a bike e as sacolas, levar a bike pro check in e ainda queria tentar assistir ao Congresso Técnico pra pegar os detalhes da prova e do transporte pra largada.

Essa prova teve uma logística diferente. Como a T1 e a T2 não eram no mesmo lugar, no dia da prova não teríamos acesso à sacola da corrida antes da largada (ela estaria na T2 e nós na T1). Pra facilitar a vida dos atletas e acompanhantes, a organização colocou o estacionamento oficial da prova na chegada e proibiu a passagem de carros que não fossem da organização até a área da largada e colocou vários ônibus fazendo o transporte de atletas e acompanhantes da chegada para a largada.

Tinha tudo pra ser uma enorme confusão, porém, tudo correu às mil maravilhas. Todo mundo chegou cedo pegou os ônibus da organização e foi pra largada num clima espetacular que não me lembro de ter visto em outras provas. O Iron de Floripa é uma tensão pré prova fora do normal. Todo mundo tá nervoso com o que pode vir a acontecer… La em Foz não! Todo mundo sorridente e fazendo piadas no ônibus, área de transição com vários sorrisos, atletas confraternizando, tirando foto… Um clima muito leve e legal!!!

 

A natação num lago acaba deixando as pessoas que, como eu, não sabem nadar mais tranquilas. Pelo menos tínhamos a certeza de que não ficaríamos tomando ondas na cabeça pra entrar e sair da água… Rs.

A única reclamação que tenho da natação é que, não sei se pra todo mundo, nunca consigo ver direito a direção que tenho que tomar pra voltar pra areia! Todas as boias do percurso são muito grandes e fáceis de visualizar, mas na hora de sair da água sempre fico perdidinho tentando adivinhar onde é a saída. Concordo que deve ser falta de hábito de natação no mar, mas será que custa tanto colocar uns “wind flags” gigantes na saída da água??? Ou aqueles balões, pra fazer uma sinalização legal???

Óbvio que isso não me faria nadar bem, mas que ia dar uma força pra que eu nadasse menos, ahh, isso daria… (OBS: nadei quase 2.300m ao invés dos 1.900m oficiais da prova. Rs)

 

O ciclismo foi muito duro com subidas e descidas, freadas e retomadas, momentos rápidos e lentos… Tinha tudo e foi bem interessante. Asfalto muito bom na maior parte da prova (antes de entrar na área da usina tinha uns trechos um pouco prejudicados, nada grave, e alguns quebra molas).

A única coisa que posso reclamar é de mim, que eu não esperava uma prova tão dura e treinei errado. Na próxima vez que eu for pra lá farei aquelas subidas como se fossem planos… rs

 

A corrida, além de também ter tido várias subidas, como foi numa única perna de 21km acabou sendo muito solitária. Quando o percurso é em voltas e em mão dupla, você acaba passando por várias pessoas o tempo todo, tanto atletas como acompanhantes. Lá isso não acontecia. Os acompanhantes só te viam passar na T2 e depois só iam te ver novamente na chegada. Infelizmente meu fã clube não foi assistir, logo, pra mim, acabou não fazendo muita diferença. Mas deu pena de ver os acompanhantes fritando no sol sem nenhum tipo de notícias dos atletas que foram ver…

 

Infelizmente a solidão dos corredores é um problema, a meu ver, de solução muito complicada. Usinas hidrelétricas são área de segurança nacional. Não dá pra liberar a entrada e circulação de pessoas por qualquer lugar. Reduzir o percurso diminuiria essa sensação porém deixaríamos de ter uma paisagem espetacular durante a prova… É difícil…

Aliás, o percurso, apesar de muito duro é muito bonito. Pra quem é da área de energia então, como eu, é quase um presente divino poder participar de uma prova dentro de uma hidrelétrica…

 

No geral achei a prova muito boa e gostaria de dar os parabéns à Latin Sports que, dessa vez, fez um evento espetacular.

 

Ainda não sei quando vai dar pra voltar lá mas espero que em 2016 isso seja possível.

 

Vamos que vamos!!!

%d blogueiros gostam disto: