Arquivo

Archive for março \31\-03:00 2014

Evoluindo sem muitas novidades…

31 de março de 2014 2 comentários

Continua difícil manter uma atualização legal do Blog mas vou tentando na medida do possível.

Ao que interessa:

Apesar da falta de tempo, dessa vez, boa parte da falta de tempo na atualização do blog vem em função de eu estar conseguindo treinar melhor… Na realidade, venho apresentando alguma evolução… Dentro da minha capacidade, mas venho…

Definitivamente consegui encaixar novamente a natação e o pedal na rotina… Pra isso, obviamente, a corrida acabou sofrendo um pouco, mas já já as coisas se acertam…

Na natação, consegui sair da inércia de só cair na água uma única e solitária vez na semana pra 3 vezes na semana… O problema aqui não é o fato de faltar ao treino de natação, o problema é o motivo da falta… Eu nado de manhã, antes de ir pro trabalho, e pra isso, tenho que acordar bem cedo… Não teria o menor problema caso eu conseguisse dormir cedo, mas como não consigo, fica difícil acordar. Mas ok, quando estou acabado assim por causa de algumas noites de insônia, tudo bem. O problema é que mesmo não dormindo tão mal, acabo levantando e voltando pra cama por pura preguiça! Pois é, chega a ser meio ridículo falar isso mas é a verdade: tenho faltado à natação, na maioria das vezes, por pura PREGUIÇA!

No pedal, estou conseguindo fazer uns treinos no rolo durante a semana e já consegui ir pra estrada duas vezes nos finais de semana… O resultado obtido na estrada ainda é muito ruim. Uma distância pequena, com uma média péssima e ainda fico com o corpo parecendo que pedalei o Tour de France…

Na segunda ida, já deu pra perceber uma melhora mas, espero sinceramente conseguir aumentar muito essa média ainda. Do jeito que tá não dá nem pra ir pra Foz fazer o 70.3. Ainda bem que falta muito tempo pra evoluir…

A corrida tem deixado um pouco a desejar na questão do volume. O pedal de sábado está me deixando muito preso pro longão de domingo, logo, eles não tem sido feitos… Costumo ser muito conservador na elaboração dos meus treinos. Prefiro reduzir um pouco agora pra poder encaixar as 3 modalidades do que arriscar sofrer alguma lesão que me deixe fora de tudo. Muita calma nessa hora!

O bom é que logo logo isso também será resolvido mas nessa questão tenho um pouco mais de pressa, a Maratona do Rio é antes do 70.3 de Foz…

Quanto à velocidade, estou mais ou menos no mesmo nível que estava no ano passado e isso, sinceramente, não me preocupa muito. Quem nasceu pra ser lerdo vai continuar sendo lerdo e ponto!

 

Agora é ir aumentado o volume da natação, o volume e a média no pedal e o volume da corrida!!!

 

No final, como de costume, tudo vai dar certo…

Longões de montanha

19 de março de 2014 1 comentário

Em algum lugar eu já devo ter dito que sou um “corredor” lerdo… Muito lerdo…

Provavelmente é por isso que prefiro fazer as provas longas às curtas. O ritmo de provas longas costuma ser mais suave, o que me faz ficar mais tempo me divertindo… Já nas curtas é aquela loucura de dar tudo que pode o tempo todo. Concentração total pra não perder o foco. Coração saindo pela boca do início ao fim…

A verdade é que eu acho que não dá pra curtir a prova…

Gosto é gosto e, graças a Deus, cada um tem o seu!!!

Voltando ao tema, nas minhas preparações para a Maratona do Rio, gosto muito de fazer os “longões” na Floresta da Tijuca. Não só por ter uma temperatura mais amena e, com o sobe e desce, causar um esforço maior te deixando mais preparado. Acho que eu gosto mesmo é porque nas subidas o ritmo acaba sendo bem lento… Rsrs

Passo pela Floresta da Tijuca num ritmo tão lento que dá tempo de apreciar toda a paisagem.

Não sou desses que costuma parar no meio do caminho pra tirar fotos etc. Pra falar a verdade, até o mês passado eu nem mesmo levava meu celular para os treinos. Era eu e Deus no caminho. Sem mais ninguém pra perturbar e sem possibilidades de perder o foco por causa de uma ligação fora de hora… Mas aí eu comprei uma mochila de hidratação… Além disso, acabei me dando conta de que num lugar onde passam poucas pessoas, seria um mega perrengue se algo acontecesse e ficasse na dependência de encontrar alguém pra me “ajudar”. Coisa que um celular resolveria e com a mochila de hidratação, ficou fácil demais carregá-lo.

Já que o celular tá ali, acabo tirando umas fotos pelo caminho… Ninguém é de ferro… (Ok, essa frase não caiu bem, afinal, eu sou Ironman!!! Mas acho que deu pra entender… Rsrsrs)

O único problema desse percurso é que ele não pode ser feito todas as semanas. Correr na subida cansa demais mas esse é o menor dos problemas. O problema é descer. Descer machuca, e machuca muito!

Arrumar problemas nos joelhos mais uma vez enquanto está treinando pra uma maratona é uma das coisas que eu não quero de maneira nenhuma…

Tá aí a pressão da altimetria… Dá até pra subir mais um pouquinho mas achei melhor ficar nesse nível mesmo…

Longo nas montanhas

Vamos que vamos porque as provas importantes do ano estão chegando, as distâncias estão aumentando e eu tô gostando…

Pedal de sábado voltando a fazer parte da rotina…

17 de março de 2014 2 comentários

Acho que no último post já deixei meio subentendido que a moleza acabou…

Se não deixei, vou fazer isso agora: A MOLEZA ACABOU!!!

Pronto, acho que agora ficou claro! Não pra você, mas pra mim! Esse pensamento aí tem que entrar na minha cabeça de qualquer maneira, querendo ou não…

Tentando deixar isso bem claro, voltei a me deslocar para Magé no sábado pra retomar meus treinos de pedal na estrada.

Foi sofrido, dolorido, tenso, lento, quente… Mas no fundo foi bom:

 

  • Bom pra perceber o quão fora de forma eu estou.
  • Bom pra lembrar quanto dói o pescoço depois de 30min.
  • Bom pra perceber o quanto vou ter que treinar até o 70.3 de Foz do Iguaçu.
  • Bom pra ver que os amigos que não pararam de treinar estão tendo seu esforço compensado.
  • Mas foi principalmente bom pra sentir o vento na cara e ter novamente a sensação de que tudo é possível. Como diz a figurinha do Ironman: Anything is possible!Anything is possible

 

A conclusão do pedal é a seguinte:

 

  1. Não está me faltando perna, está me faltando fôlego. Nem na hora e muito menos no dia seguinte senti algum incômodo nas pernas. Mas na hora do pedal, os batimentos disparam e com certeza isso foi meu grande fator limitante;
  2. Pedalar faz os braços ficarem doloridos. As pernas podem ter ficado ok, mas a posição me fez ficar com os braços e pescoço doloridos durante todo o domingo. Boa parte disso é em função da tensão de estar novamente na estrada que, sabidamente, é um lugar perigoso e a todo momento vemos acidentes. Eu sei que isso vai passar com o tempo;
  3. Não tem milagre. Só evolui quem treina duro! Muito duro!

 

 

Acho que é isso.

Vamos focar no objetivo, botar fé que tudo vai dar certo e  fazer força nos treinos. Se não der certo, foda-se, pelo menos a gente tentou e aproveitou a caminhada…

 

Foco fé força e foda-se

 

Com o perdão do palavrão, mas dizem que quem fala palavrão é mais feliz!!! 😀

 

Sumi… Mas agora voltei!!!

15 de março de 2014 4 comentários

♩♫♭♪ Eu voltei… E agora é pra ficar… Porque aqui, aqui é o meu lugar… ♩♫♭♪

Meu sumiço foi inevitável…

Tirei férias e voltei com várias coisas, das mais variadas e dos mais variados setores, acontecendo… A gente vai tentando resolver daqui e dali e acabou que o Blog foi ficando por último.

O lado bom é que durante esse período não precisei ficar completamente longe dos esportes que acaba me servindo como terapia e válvula de escape…

Como já disse, passei um tempinho viajando de férias e com o frio que estava fazendo no velho continente ficou muito difícil acordar cedo pra dar uma corrida… Acho que isso acabou sendo compensado pelo tempo que passo andando durante o dia. Basicamente o dia todo, todos os dias…

 

Stonehenge - Londres - Berlim

Stonehenge – Londres – Berlim

 Mas nem tudo são trevas. Depois de 9 dias de viagem, diga-se de passagem sem nenhuma gotinha de chuva, no 10º e último dia consegui acordar cedinho pra dar uma corrida nas redondezas. Mesmo com o frio de 2°C eu fui. Fui e esqueci as luvas. Fui, esqueci as luvas e, veja só, começou a garoar… Nem preciso dizer que com 30min voltei alucinado para o hotel e me enfiei embaixo do chuveiro de água fervente pra poder descongelar…

Corrida em Berlim com direito a garoa e sem luvas...

Trote em Berlim com direito a garoa e sem luvas…

Eu gosto muito de viajar mas gosto absurdamente do meu país e da minha cidade! Cheios de problemas, eu sei, mas eu gosto. Cada um com suas maluquices só que dessa vez eu realmente senti o golpe quando coloquei meus pés na “Cidade Maravilhosa”!

Já tem um tempo que a Cidade só é Maravilhosa vista de cima, e de longe. Quando se dá um “zoom”, percebe-se que não é tããão maravilhosa assim…

Eu voltei no Carnaval e consequentemente, no meio da greve dos garis e todo o caos que a cidade estava vivendo me fez ter um duro choque de realidade. A viagem foi Rio – Londres – Berlim – Rio. Sempre Londres Berlim é simplesmente o lugar mais organizado que já passei. Chegar aqui, ter dificuldades pra sair do aeroporto e em seguida me deparar com a cidade cheia de lixo por todos os lados doeu muito. Muito mesmo!!!

Esse assunto vou parar por aqui pois além de ser muito grande e polêmico, este blog não é pra isso. Mas que doeu, doeu!!!

Voltando ao Rio, um diazinho de descanso e no seguinte já parti pra uma corridinha de 20km nas montanhas pra reacostumar o corpo com o calor e com as passadas… Acabei correndo um pouquinho menos (cerca de 18k), mas nada que invalidasse o treino.

Ainda durante o Carnaval fiz um pedal nas montanhas com cerca de 60km e mais de 1.200m de ganho de elevação. Fiquei bem satisfeito com o fato das pernas terem aguentado a pressão. Está faltando é pulmão e coração, não pernas. Já é alguma coisas!!!

Pedal de carnaval nas montanhas

Pedal de carnaval nas montanhas

Um treininho de natação leve e já começo a me sentir novamente um triatleta. 😀

Pra fechar o resumão, no final de semana teve a etapa outono do Circuito das Estações aqui no Rio e dizem que de graça até injeção na testa…

Como eu tinha que fazer 20km, resolvi ir pra corrida já no trote. São 8km da minha casa até a largada. Chegando lá, emendei em 10km em ritmo moderado e depois fiquei com preguiça de “fechar” mais 2km. No final, acabei gostando do resultado. Apesar de um bom tempo parado, vejo que o que perdi não vai demorar muito pra ser recuperado… Tomara…

Medalha - Circuito das Estações Outono

Medalha – Circuito das Estações Outono

Prometo não demorar muito até o próximo post… rs

 

É isso!

%d blogueiros gostam disto: