Arquivo

Archive for 8 de junho de 2013

Ironman Brasil 2013 – Bike Check-in

8 de junho de 2013 4 comentários

Sem dúvida nenhuma esse foi o dia em que fiquei mais tenso…

Acabei me atrasando na sexta-feira e não consegui nem testar a bike e nem “montar” minhas sacolas da prova. Ia ter que fazer tudo isso pela manhã já que o bike check-in era dividido pela numeração e meu horário era de 13h às 14h.

Ahh, sexta para sábado é também o último dia que se tem pra dormir antes da prova, logo, não ia ser legal acordar muito cedo.

Acabei levantando por volta das 9h e partimos pra testar a bike na Beira Mar. A última semana de treinos antes da prova foi tão suave que era como se eu não tivesse treinado. Quando dei as primeiras pedaladas era como se as pernas tivessem esquecido o que era aquilo. Cinco minutos depois eu estava pedalando freneticamente a 38km/h como se estivesse no campeonato mundial de contra-relógio (38km/h é muuuito rápido pra mim…).

Ajustes finais feitos e a bike já estava prontinha pra ser entregue, só faltava agora arrumar as sacolas…

Teste da bike no sábado pela manhã. Tudo OK.

Teste da bike no sábado pela manhã. Tudo OK.

É difícil decidir o que colocar nas sacolas da prova. São entregues 5 sacolas:

Branca – É a sacola “geral” vc leva ela no dia da prova com o que for usar antes da largada, entrega antes da largada e só tem acesso a ela novamente no final da prova. Nessa sacola coloquei meus chinelos, documentos, celular, casaco e tudo que eu precisaria assim que a prova acabasse.

Azul – É a sacola da T1. Você pega essa sacola com o material do ciclismo quando sai da natação e coloca nela tudo o que usou na natação (roupa de borracha, óculos etc.). Deixei nela meu capacete, número de peito já no cinto, sapatilha (essa eu tirei da sacola pela manhã antes da largada e a deixei presa no pedal), meias (sim, eu uso meias pra pedalar e correr) alguma alimentação pra comer na T1 e até uma toalha pequena (sim, eu também costumo tirar o excesso de água).

Amarela – É a Sacola da T2. Você tem acesso a essa sacola quando entrega a bike. Essa sacola é, pra mim, a mais simples. coloquei nela um par de tênis que usaria pra correr, mais um par de meias, e a alimentação da T2. Difícil é conseguir colocar nela toda a tralha que usei no pedal (capacete e sapatilha dentro da mesma sacola é complicado…). Ahh, a minha alimentação da corrida já estava toda presa no cinto do número que usei tanto pra pedalar quanto pra correr.

Verde e Vermelha – Essas são as sacolas do “special needs”. Uma pro pedal e outra pra corrida. Essas sacolas ficam em pontos estratégicos do percurso e você pode parar pra pegar o que deixou nelas. No pedal passamos pelo “special needs” 2 vezes e na corrida 3 vezes. A minha ideia era de não parar pra nada, logo, só deixei nessas sacolas alguns sachês de gel, barras energéticas e waffle de carboidratos, ou seja, comidas. Fiz isso por causa do que aconteceu comigo no 70.3 de Miami onde perdi toda a minha comida do pedal… Acabei não usando nenhuma delas.

Tudo arrumado, partimos pra Jurerê pra deixar lá, além da bike, as sacolas azul e amarela.

Chegando lá tive o primeiro choque de realidade. O pórtico de chegada.

Pórtico de chegada no dia do bike check-in.

Pórtico de chegada no dia do bike check-in.

Na hora que me dei conta de que no dia seguinte a meta era simplesmente passar por ali, quase pulei essas grades pra resolver logo essa parada… Acho que fiquei uns 5 minutos olhando pra esse pórtico. É meio hipnótico!

Despertei e lá fui eu deixar minha bike.

Entrando na transição

Entrando na transição

É impressionante a atenção que te dão. Você é realmente a estrela da festa. Tem 1 staff pra cada competidor. Ele te leva ao local da sua bike, te ajuda a colocar no suporte, cobrir etc. Nota 10 pra equipe de staffs da prova.

Enquanto deixava a bike, os fotógrafos estavam à toda. Conseguiram até me arrancar um sorriso. Apesar de eu ter um sorriso fácil, naquela hora estava meio tenso…

Tensão ou tranquilidade? Sei lá...

Tensão ou tranquilidade? Sei lá…

Depois de largar a bike fui deixar as sacolas, novamente acompanhado por um staff.

Quando já estava de mãos abanando era a hora de ir pra pintura. sim, fizeram a pintura dos atletas no dia anterior. Ficou mais rápido mas na hora da prova os números já quase não apareciam mais… Faz parte…

Pintura dos atletas

Pintura dos atletas

Tudo pronto!

Assim ficaram as bikes durante a noite:

Bikes na área de transição durante a noite

Bikes na área de transição durante a noite

E as sacolas:

Sacolas na área de transição

Sacolas na área de transição

Agora era almoçar e ir pra casa descansar. O grande dia estava chegando e a mentalização da chegada naquele pórtico já estava se formando na minha mente. Isso era bom.

Só pra dar uma palhinha, assim ficou a área das bikes na transição enquanto a maioria dos competidores corria:

Bikes esperando pra serem retiradas

Bikes esperando pra serem retiradas

É cada bike mais maneira que a outra…

Já já falo sobre a prova em si…

%d blogueiros gostam disto: