Arquivo

Archive for 31 de outubro de 2012

Ironman 70.3 Miami – A prova

31 de outubro de 2012 6 comentários

A chegada em Miami

Cheguei em Miami na quinta-feira antes da prova e o furacão Sandy tinha acabado de passar próximo à costa da Flórida. O dia estava horrível com ventos fortíssimos, muita chuva e ruas alagadas. No mesmo momento pensei que a prova seria prejudicada mas não podia desanimar pois ainda tinha que acertar a bike e adquirir alguns apetrechos pra utilizar no domingo.

As lojas de bike de Miami estavam simplesmente lotadas de pessoas de todas as partes do mundo mas acho que o português era a língua mais falada por lá. Era difícil encontrar alguma coisa e quando encontrava tinha que comprar logo antes que alguém levasse… A disputa já começava aqui…

Pré prova

Na sexta pela manhã, ainda com tempo ruim, mas bem mais tranquilo do que na véspera, parti para o local do evento pra fazer o “Athlete Check-in” e aí começaram as surpresas. Por causa do furacão, sempre ele, as tendas montadas no local do check-in tiveram que ser desmontadas e quando cheguei lá não havia praticamente nada.  Depois de muitas informações desencontradas por parte da organização descobri que o check-in estava sendo feito em um hotel próximo e lá mesmo seria o briefing da prova em português.

Chegando ao hotel fiz logo meu check-in e fui informado de que o briefing em português tinha sido cancelado, o bike check-in poderia ser feito no sábado a tarde ou no próprio dia da prova, não haveria sacola para as transições, enfim, a coisa estava bem bagunçada e perdi boa parte do dia tentando encontrar informações mais concretas e nada.

Sábado cedinho, com um sol escaldante e um vento fortíssimo resolvi sair de bike pra ver se estava tudo em ordem e fazer os últimos ajustes pois nos dias anteriores estava impossível. Com pouco mais de 30min de pedal quase fui ao chão por mais de 5 vezes e fiquei realmente preocupado com o que aconteceria durante a prova. As rajadas de vento laterais estavam insuportáveis…

Agora estava tudo pronto pra prova.

Tudo pronto

Coloquei novamente a bike no carro e parti pra arena do evento em busca de novas informações e descobri que remarcaram o briefing em português para a parte da tarde. Passeio e compras pela feira do evento e almoço num restaurante italiano para passar o tempo, baixar a ansiedade e estocar carboidratos fez o tempo passar muito rápido. Depois do briefing resolvi deixar logo minha bike na transição e com isso ganhar mais alguns minutos de sono na manhã seguinte.

Bike check-in

OBS.: Se a prova fosse naquele dia a roupa de borracha seria proibida. A água estava em +/- 25°C.

Natação

No dia da prova a organização informou logo cedo que a água estava com 24°C e a roupa de borracha estava liberada. Graças a Deus, pois fico bem mais tranquilo com ela.

Com a largada em ondas, a largada da elite ocorreu às 07h25min da manhã e a minha onda somente às 08h55min, ou seja, 1h30min depois. Tudo bem que isso facilite a organização mas fica meio complicado já que até mesmo as condições meteorológicas podem mudar nesse tempo. Nem vou falar da diferença entre começar a corrida às 11h da manhã ou as 12h30min.

Como sempre, minha natação foi muito ruim. Pretendia fazer esta etapa em cerca de 40min. Seria a mesma média que costumo fazer nas provas olímpicas do estadual do Rio de Janeiro. Acabei fazendo em 47min. Tinha uma correnteza muito forte e demorei muito a me adaptar pra poder buscar o menor caminho entre as boias. No total minha natação foi de 2.120m, 220m a mais do que os 1.900m da prova.

Saída da natação

Saí da água na posição 1.715 na classificação geral.

Ciclismo

Saí pra pedalar só pensando em socar muito o pedal pra poder descontar o tempo perdido. Concluí neste momento que a raiva motiva muito. Raiva de mim mesmo por nadar igual a uma âncora…

No início do percurso tinha até um trecho que ainda estava alagado e com placas para reduzir a velocidade… Se fosse aqui no Brasil seríamos criticados ao extremo, mas… lá pode.

Passados uns 5 km fui tomar meu primeiro gel e tive a péssima surpresa de ver que TODOS eles tinha caído da bike, provavelmente em algum buraco pois na transição eles estavam presos na bike. Mais raiva = mais motivação pra pedalar.

O fortíssimo vento contra fazia a média cair a cada km que eu percorria, mesmo assim ainda fazia algumas ultrapassagens e isso também motiva…

No primeiro posto de água, +/- no km 25, já sem nenhuma água no meu aerodrink, consegui pegar um gatorade e uma garrafa de água. Nossa, que alívio ter alguma coisa geladinha pra beber naquele calor…

Mais força no pedal até chegar ao tão esperado retorno onde o vento, enfim, seria favorável… Neste ponto, outro gatorade, outra garrafa de água e um sachê de carboidrato gel… Mais alívio.

Olhei para o garmin e situação da ida tinha sido tão crítica que a velocidade média estava em 25km/h, um absurdo. Na volta porém, pedalei pra terminar o ciclismo em menos de 3h e assim foi. Muitas ultrapassagens, muita velocidade… Um espetáculo. Tinha acabado de readquirir o gosto pelo pedal.

Força no pedal

Fechei o pedal com média um pouco acima de 30km/h com praticamente 3h.

Minha posição após esta etapa era 1.542.

Corrida

Na T2 achei que valia perder um tempo e dei um reforço no protetor solar. Saí pra correr quase às 13h e tentei imprimir um ritmo forte pra não perder o foco.

É muito interessante correr numa prova dessas. O percurso é bem estreito com trechos que não passam mais de 3 pessoas lado a lado e todo em mão dupla separado por cones. Você corre vendo todo mundo que está em sentido contrário e isso acaba dando uma motivação maior.

O percurso era em duas voltas e todo na beira do mar. Tínhamos que passar por uma ponte até Palm Islands que tinha praticamente 1km de subida. Subida na ida e na volta, por duas voltas, ou seja, 4 subidas de aproximadamente 1km cada, mais força nas canelas…

Ainda inteiro na corrida

Na última parte do percurso, quando ia iniciar minha 4ª e última subida da ponte olhei para o relógio e fiz umas contas erradas… Concluí que não seria mais possível terminar antes de 6h e, com o desânimo (foi meu único momento de fraqueza mental na prova), resolvi subir a ponte andando. Chegando ao topo voltei a correr e assim fui até o final.

Concluí a corrida com 2h01min.

Linha de chegada e o relógio marcou 5h59min, ou seja, antes das 6h. Me arrependi muito daquela caminhada, mas…

Chegada

Minha colocação no final da prova foi 1.269.

Foto oficial

Conclusões

Apesar de todos os contratempos a prova foi fantástica. Óbvio que tiveram vários problemas de organização mas vamos considerar que foi por causa do furacão…

Queria sim ter feito um tempo melhor mas, diante das condições duras acho que o resultado foi muito bom.

Analisando os dados do GPS e minha condição física etc. acho que dava pra reduzir meu tempo em consideráveis minutos e vejo que minha meta arrojada (5h30min) não era tão longe da realidade quanto eu pensava.

Vamos aos tempos que fiz e os que acho que poderia ter feito. (Não estou me supervalorizando não, fiz a análise com meus tempos de treinos e provas anteriores pra ter uma noção).

Natação => 00:47:50 -> 00:42:00

Ciclismo => 03:01:40 -> 02:50:00

Corrida => 02:01:29 -> 01:57:00

Com esses tempo meu total, considerando as mesmas transições, seria de 05h37min18s no lugar de 05h59min17s.

Impressionante como 6h passam tão rápido!

Vamos treinar pro Ironman Brasil…

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: