Arquivo

Archive for julho \29\UTC 2012

Ressaca e Golden Four

Correr uma Maratona causa ressaca… rsrsrs

Já tinha ouvido falar nisso mas comigo nunca tinha acontecido. Depois de uma prova dessas, que é uma das minhas metas do ano junto com a travessia dos fortes, que já passou, e o Ironman 70.3 de Miami, que vai rolar em outubro, além do corpo sentir realmente um certo cansaço, fica difícil encontrar motivação pra se dedicar aos treinos como antes. O ideal é ter mesmo um tempo pra descansar e depois, com calma, estabelecer novos objetivos e novas metas.

No meu caso, em virtude do calendário apertado, acabou ocorrendo um atropelamento dos períodos de treino e vou ter que me adaptar a isso, de preferência sem muito estresse.

Depois da Maratona, que foi dia 08/07/2012, tive hoje, 29/07/2012, a Meia Maratona Asics Golden Four pra correr. Nesse intervalo de tempo fiz apenas 3 treinos de corrida. A paciência pra sair pra correr parece que se esvaiu pelo ralo mas tenho tentado retomar o pedal e a natação, ou seja, não fiquei totalmente parado nesse período.

O problema todo do calendário é que em 28/10/2012 tem o Ironman 70.3 de Miami e a planilha era pra ter começado 1 mês antes da Maratona, ou seja, comecei com muito atraso (mais de 1 mês), porém, na corrida, estava com um volume muito maior do que deveria, o que de certa forma compensa os problemas de nadar pouco e pedalar menos ainda.

A grande dificuldade agora é que os treinos de pedal já estão com um volume muito alto e está complicado acompanhar. Vou fazer umas adaptações na planilha pra tentar não me atropelar e, o mais importante, evitar lesões.

A parte boa é que depois de Miami, vou ter praticamente 1 mês de descanso antes de iniciar forte os treinamentos para o Ironman Brasil 2013, essa sim é a grande meta desse período de 2 anos de programação.

Asics Golden Four

Essa prova é realmente diferenciada. A impressão que passa é de que todos que se inscrevem pra essa corrida estão ali pra ganhar a prova. É um clima de competição muito maior do que nas outras meias que já corri, e olha que não foram poucas…

Acho que o esquema de distribuir medalhas diferentes pros top 100 é que incentiva esse clima. Todo mundo quer pegar a medalha de top 100 e a camiseta preta (que esses 100 indivíduos também levam).

Obviamente que não tenho a pretensão de conseguir esse feito, porém, confesso que o espírito de superação também toma conta da minha mente e sempre venho em busca de melhorar meus tempos.

Até ontem, meu recorde de meia maratona era de 2h06min. Tempo bem alto pro que eu tenho treinado, porém, esse tempo tem praticamente 1 ano que aconteceu e de lá pra cá, tenho corrido distâncias que ultrapassavam a distância da meia maratona e, no fundo, eu sabia que esse tempo ia ser pulverizado hoje.

Na Corrida da Ponte, que aconteceu em abril, passei pela distância da meia maratona com 2h02min, que já seria um novo recorde.

Na Maratona do Rio, dia 08 desse mês, passei pela distância da meia com 1h59min, e isso era só a metade da prova, que acabei concluindo em 4h06min.

Hoje, num dia que considerei quase perfeito (dormi pouco menos de 3 horas essa noite) realmente consegui pulverizar meu recorde pessoal e estabeleci 1h49min, ou seja, 17 minutos mais rápido que meu tempo oficial de meia maratona. É ou não uma bela evolução?

Percurso da Asics Golden Four

O que realmente acho que poderia ser feito pra melhorar essa prova era distribuir o Gatorade em saquinhos, como foi feito na Maratona. É impossível, na minha humilde opinião, beber aquilo num copo aberto enquanto corre sem se lambuzar inteiro.

Fora isso a prova foi, mais uma vez, muito boa. Parabéns aos organizadores Asics e Iguana.

Anúncios

O que é o nosso corpo???

Interessante como o nosso corpo funciona…

A coisa é tão impressionante que em 1 semana, uma pessoa que correu uma maratona fica incapaz de correr 6km.

Sou bem magro, sempre fui. O fato de ter poucas “reservas” no organismo é um ponto positivo para algumas questões e muito negativo pra outras. Durante o processo de preparação pra Maratona do Rio tive um acompanhamento nutricional para impedir que eu perdesse muito peso com a rotina mais forte de treinos.

Isso teve início em janeiro e de lá pra cá, consegui manter exatamente o mesmo peso (52kg – podem rir) e diminuir o percentual de gordura corporal de 10,5% para 7,5%. A estratégia foi perfeita, mas sempre escutei muito da nutricionista que não poderia perder peso de maneira nenhuma.

Nunca fui de neurose com essas coisas a ponto de ficar praticamente 1 ano inteiro sem me pesar (sim, me pesava apenas no exame médico periódico anual da empresa). Mas a frase “Você não pode perder peso de maneira alguma!” ficou na minha cabeça e acabei comprando uma balança.

Todos os dias eu dava uma olhadinha e lá estavam meus 52kg. Às vezes 51,7 ou 52,3, mas nunca variou muito além disso.

Manhã da Maratona, como de costume, me pesei e lá estavam meus 52kg.

A curiosidade me fez novamente subir na balança ao retornar da prova e, o visor mostrava 50,5kg. Caramba, 1,5kg perdidos em 4 horas. Todo mundo sabe que a maior parte disso é água e assim ficou provado quando me pesei novamente na segunda: 51kg e na terça: 51,5kg.

Na quarta, porém, fui pego por uma virose louca que me deixou preso no banheiro boa parte do dia além de um mega enjoo que não me deixava comer praticamente nada. Resultado: Quinta de manhã: 50kg.

Na sexta já me sentia bem melhor e retomei minha alimentação normal. Uma pena que no sábado voltou tudo de novo e no final do dia eu pesava ridículos 49,5kg. Isso por que no sábado o enjoo não estava muito violento e me permitia comer.

Domingo pela manhã, me sentindo completamente recuperado e praticamente sofrendo de crise de abstinência, pois a virose me deixou sem correr a semana inteira, saí para um trote leve. Não queria fazer nada demais, ia apenas rodar uns 10km num pace tranquilo pra relaxar.

Pois é, descobri o por quê de não poder perder peso. Com 6km estava completamente tonto e tive que parar de correr antes que desse algum outro problema.

Obviamente, além da perda de peso, o organismo estava meio debilitado, mas acho que a perda de peso, no meu caso, foi o principal motivo pela tonteira. Uma coisa é não aguentar correr a outra é ficar tonto…

O negócio agora é comer, comer e comer…

Cuide bem do seu corpo, tudo depende do perfeito funcionamento dele…

Maratona do Rio

Enfim chegou a Maratona do Rio. Segue o que escrevi no Facebook sobre essa fantástica experiência:

“Não adianta eu tentar descrever pq não dá. É indescritível!

Linha de chegada

Quem me conhece sabe o quanto eu gosto de correr. Sabe mais ainda o quão importante foi fazer uma Maratona.

Tudo que passei desde o dia que tomei a decisão de correr essa prova, e isso tem exatamente 1 ano, quase ninguém sabe… Sofri, sorri e corri muito de lá pra cá… Mas acho, na realidade tenho certeza, que todas as dificuldades só serviram pra deixar tudo isso ainda mais interessante.

A maratona é uma prova de força de vontade, de resistência, de dedicação e de disciplina.

Registo do GPS

Em 4h06min é possível repensar tudo o que passei. O que ganhei e o que deixei de ganhar. Quem me acompanhou ou quem desistiu de mim no caminho. Caminho esse que é só para quem é determinado. E isso eu sou demais…

Enfim, muita coisa passa pela nossa cabeça nesse tempo. É engraçado como correr uma Maratona cansa mais a cabeça do que o corpo, mas isso só dá pra entender depois que se corre uma. É realmente indescritível!

A lição mais importante que tirei disso tudo? É você que determina quais são os seus limites! Você, e só você. Mais ninguém.

Medalha

Quem não sabia viu na chegada: sou chorão! Tem até uma foto rolando pelo Facebook… Valeu Leonardo, vai ter volta… Rsrsrs. Brincadeira, me amarrei na foto.

Chegada emocionante

Nada disso, porém, se consegue sozinho, é preciso envolver muita gente pra que isso dê certo.
Claro que vou esquecer alguém, mas aí vão meus agradecimentos especiais:
Sem comentários sobre a minha família. Desculpem vocês, mas a minha é demais…
Rafael Sepeda – Você é o cara da fisioterapia. Foi quem literalmente me colocou na linha de largada quando eu já estava quase “jogando a toalha”. Logo eu, que não desisto nunca…
Julia (e Nutricorp) – Mudou completamente minha alimentação e me fez chegar aqui com 7,5% de gordura corporal sem perder nenhum kilinho. Você é dez!
Marcelle e Fernanda (e Eletrobras) – Levar à frente um programa desses requer tanta determinação quanto a que precisei pra treinar. Parabéns!
Speed – Mais que uma assessoria esportiva vocês se tornaram meus amigos: TODOS.
Rodrigo – Dividiu comigo os dramas de um treinamento para a 1ª maratona.
Aline e Fernando – acho que vocês acreditavam mais em mim do que eu mesmo.

Grande abraço pra todo mundo. Devo tudo a vocês…

Próxima sub-meta: Ironman 70.3 Miami”

Pra quem não conhece o percurso de maratona mais bonito do mundo, aí vai:

Percurso da Maratona do Rio

Corrida da Eletrobras

Pois é, domingo antes da Maratona do Rio teve a Corrida da Eletrobras.

Como funcionário da empresa e participante do programa Energia e Movimento, que é um grande incentivo pros que querem sair do sedentarismo e um belo apoio para os que já praticam a corrida de rua, não poderia deixar de ir.

Em princípio, fiquei chateado pois a corrida havia sido marcada para o mesmo dia da Golden Four Asics, meia maratona muito boa e eu já havia feito minha inscrição, portanto, iria pra Asics, porém, a Prefeitura do Rio, sempre aprontando das suas, resolveu adiar a Golden Four. Apesar de achar uma grande falta de respeito com os atletas (sacanagem da Prefeitura e não da Asics, que fique claro) esse cancelamento veio bem a calhar. Pude participar da prova em comemoração dos 50 anos da Eletrobras.

Sem pretensão nenhuma, alinhei na largada para fazer algo na casa dos 52min nos 10km. Tempo que considero bem legal (pra mim) e sem forçar muito a barra pois tinha rodado 15km na véspera e era a última semana antes da Maratona, não posso arrumar problemas nessa altura da brincadeira.

Largada da Corrida da Eletrobras

Mas foi só começar a corrida que o planejamento vai todo embora. Desci o pé e acabei completando a prova em 48min. Muuuito rápido pra mim.

Isso é sinal de que os treinos pra Maratona, além de me fazerem ganhar bastante volume, não me fizeram perder muita velocidade. Ótimo sinal.

No final das contas, domingo nota 10, com direito a correr com os amigos, quebrar o recorde pessoal nos 10km e terminar a prova sem sentir o joelho perturbar.

Trofeus

Agora é controlar a ansiedade até o dia da Maratona… Não vejo a hora de começar essa prova…

%d blogueiros gostam disto: