Arquivo

Archive for 1 de abril de 2012

Travessia dos Fortes

Domingo de sol no Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa.

Depois de uma noite meio turbulenta, acordo cedo e vejo que chegou o grande dia da Travessia dos Fortes. Olho pela janela e vejo que, às 06h30min o sol já está brilhando. Tudo perfeito pra participar da minha primeira Travessia dos Fortes.

Aqui cabe uma observação. A Travessia dos Fortes acontece desde 2001 e sempre a assisti pela televisão. Todos os anos ficava observando e achava impressionante como aquelas pessoas conseguiam nadar 3.500m. Pra mim, isso sempre foi algo intangível.

Cheguei cedo em Copacabana. Dessa vez, meu pai e minha mãe foram prestigiar a prova e servir de “guarda-volumes” pois a organização fez o favor de não disponibilizar isso aos atletas. Se eles não fossem, teria que deixar a chave do carro em algum quiosque da praia ou deixar o carro aberto, já que minha chave não pode molhar…

Depois de separar tudo o que precisaria antes e durante a prova, meus pais foram caminhando para o Leme e eu fiquei aguardando a largada em Copa. Deu tempo de ir até a água pra ver a temperatura e dar umas braçadas pra refrescar pq estava quente demais… A temperatura da água estava bem tranquila, acho até que dava pra encarar sem a roupa de borracha…

Encontrar amigos é sempre bom nessa hora. Coloca-se a conversa em dia e diminui um pouco a tensão pré prova. Dessa vez encontrei vários. Amigos da natação, amigos do trabalho e amigos do triathlon…

Parti pro local de largada e realmente pude perceber a grandeza do evento: muita gente. É realmente a maior travessia do Rio de Janeiro e acredito que do Brasil. Não é moleza controlar 2.500 pessoas loucas pelo tiro de largada. Impressionante!

Alguns minutos de atraso e, de repente, o tiro de canhão que marca o início da prova.

Largada da Travessia dos Fortes

 

Início de prova é sempre complicado mas, mais uma vez, optei por não esperar muito. Deu o tiro e me encaminhei pra água. Com menos de 30s já estava dando minhas braçadas.

Como nesta prova não precisamos fazer uma curva logo no início, a confusão fica bastante reduzida, mesmo assim, optei por nadar o mais longe possível da faixa de areia pra evitar ao máximo as confusões. Parece que não mas o couro come nessas provas.

Dessa vez, tudo aconteceu muito bem. A temperatura da água estava boa, a ondulação não estava muito forte e, se é que tinha correnteza, nem consegui perceber.

Nadei tão tranquilo que, desta vez, consegui forçar um pouco mais o ritmo no final. Ficou aquela sensação de que podia ter ganho uns minutinhos mas, pra mim, o importante sempre foi chegar ao final sem problemas. E foi isso que aconteceu.

Próximo do Leme, depois da curva pra seguir na direção da praia, achei meio confuso o funil de chagada pois as boias de chegada dos atletas de elite não tinham sido retiradas. Segui o caminho errado mas logo fui corrigido.

Pés na areia e achei que meus pais estariam a postos pra me fotografar… Me enganei… Perderam minha chegada… Rsrsrs.

Agora, já completei 3 provas importantes de natação em águas abertas aqui no RJ:

  • Bravos Diabo – 3km
  • Rei do Mar – 3,5km
  • Travessia dos Fortes – 3,5km

Com isso já me consigo capaz de cumprir a etapa de natação do Ironman Brazil 2013, meu grande objetivo.

Bravo, Rei e Forte - Será que sou tudo isso???

 

A meta é ser Ironman!!!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: